Quando a Caroline Daher me convidou para ser colunista do Blog Mulher na Bolsa, eu obviamente fiquei extremamente grata e, logo após, nervosa. Levei exatamente 4 semanas para concluir esse pequeno texto. Isso porque eu gostaria de trazer uma escrita mais intimista por aqui, que ao mesmo tempo não decepcionasse e que entregasse todo meu amor por simplificar o mercado financeiro.

Escrevo para o Blog da Nelogica há, aproximadamente, 2 anos, mas no geral, são artigos mais densos. Aqui, quero conversar com você, leitora.

De mulher para mulher. Prazer, Tayllis Zatti.

E para começar essa jornada, escolhi um tema que tudo a ver com o propósito dessa comunidade: independência financeira.

A independência financeira feminina vem sendo uma conquista que tem aumentado a autonomia das vidas de milhões de mulheres, e contribui para a transição de uma sociedade totalmente patriarcal para formas mais igualitárias da relação de homens e mulheres.

Na atualidade, várias das antigas premissas e cenários não são mais aceitos. Hoje, a maioria das mulheres não se enquadra no padrão “princesa dos contos de fadas”, que apenas espera pelo príncipe encantado para “salvá-las”. Nós mesmas corremos atrás do nosso “final feliz”. Estudamos, trabalhamos e nos tornamos independentes. Muitas vezes, nossos relacionamentos amorosos ficam em segundo plano; e tudo bem!

Toda essa ascensão da mulher ao mercado de trabalho e o aumento da sua independência, tem influenciado nos seus relacionamentos. Eles passaram a ser uma opção, uma escolha também da figura feminina, e menos uma obrigação ou necessidade.

A autonomia e o poder de decisão começou a quebrar os padrões interiorizados nas mulheres e enraizados na sociedade. Agora pensa comigo, porque você deveria lutar pela sua independência financeira?

Quando uma mulher busca sua liberdade financeira, ela muda padrões e todo um contexto de sociedade. Ela se empodera de tudo que diz respeito a própria vida. Esse deveria ser um conceito e uma necessidade mais normal do que é.

Além disso, depender financeiramente do seu parceiro pode ser algo mais destrutivo que depender emocionalmente. Você fica mais vulnerável à agressões físicas e morais. O Ministério Público de São Paulo concluiu em 2019 que a dependência financeira é o principal motivo do silêncio de mulheres que sofrem violência doméstica: uma em cada quatro vítimas não abandona ou denuncia o agressor pelo motivo. Angustiante, não é mesmo?

Portanto, empodere-se! Converse sobre seu patrimônio, pesquise como alocar seus investimentos futuros. Estimule as próximas gerações a fazer o mesmo. Juntas, mudaremos o rumo da educação financeira. Até a próxima!

Porto Alegre, 14 de setembro de 2020.

Tayllis Zatti*


* Tayllis é graduanda em Ciências Atuariais pela UFRGS, associada à Apimec Sul, produtora de conteúdo na Nelogica e colunista do Blog Mulher na Bolsa. Tem como motivação diária descomplicar a linguagem do mercado e levar conteúdo de qualidade para que os brasileiros sejam cada vez mais educados financeiramente e acreditem que qualquer pessoa possa investir na Bolsa de Valores.