fbpx

Panorama Global de Mercado – 6 de junho de 2021

Na última sexta-feira, o Ibovespa fechou em alta e mostrou muita força.

O principal índice acionário brasileiro registrou o quinto recorde seguido de fechamento, perto da máxima intraday.

Fechamento em 130.125 pontos:

 

E essa força pode continuar na próxima semana. Veja as razões:

No gráfico anual, o Ibov possui uma variação de alta de 9,33%.

 

O fluxo de capital estrangeiro pode ser fundamental para o Ibov continuar o rali de alta. O mês de junho tem uma entrada líquida de R$1,86 bilhões no dia 1º, elevando o saldo total no ano para R$33,24 bilhões.

No acumulado do ano, os maiores vendedores são os investidores institucionais, com R$36,7 bilhões em vendas líquidas, enquanto as pessoas físicas continuam no lado da compra, com R$7,9 bilhões.

No Brasil, temos expectativa de avanço nas reformas tributária e administrativa e no projeto da Eletrobras.

Assim, a alta das commodities e os sinais de retomada mais forte da economia podem levar o Ibovespa a novos recordes, derrubando dólar e juros.

No gráfico, temos o #Dolfut retomando aos patamares de dezembro de 2020:

Além disso, de acordo com os dados divulgados pelo IBGE, o PIB brasileiro cresceu 1,2% no 1T21 e 1,0% em relação ao mesmo trimestre do ano passado.

Em relação aos últimos 4 trimestres, o PIB apresentou variação negativa de -3,8%, ante 4,1% no trimestre anterior.

Conforme este resultado, o PIB voltou ao mesmo nível do 4T19, anterior ao início da pandemia.

Analisando a oferta, todos os setores apresentaram alta trimestral e tiveram destaque o setor agropecuário e a indústria extrativa (aquela que retira a matéria-prima da natureza para ser utilizada em outras indústrias), que cresceram 5,7% e 3,2% respectivamente, favorecidas pela combinação do ciclo de commodities e a depreciação cambial.

Já o Consumo das Famílias apresentou pequeno recuo de 0,1%, enquanto os Gastos do Governo tiveram queda de 0,8%, o que reflete a interrupção dos estímulos.

Porém, estas métricas devem voltar a apresentar crescimento no 2T21, por causa da reedição dos pacotes de estímulo a partir de abril.

As exportações tiveram alta de 3,7%, beneficiadas principalmente pela indústria extrativa, alimentos e veículos, e com o ambiente externo favorável.

As importações apresentaram aumento de 7,7%, destacando-se produtos químicos e farmacêuticos.

Para os próximos trimestres, então, a expectativa segue positiva. Além da tendência de alta dos índices de confiança do Mercado, a chegada de lotes de vacina em grande escala a partir do segundo trimestre reduz o risco de mais descontrole na disseminação da Covid19.

Como falamos acima, o cenário ainda é favorecido pela reedição das medidas de compensação fiscal, incluindo o auxílio emergencial, que deve beneficiar de forma significativa o consumo das famílias.

Porém, ainda há riscos evidentes: atrasos na chegada de vacinas colocariam o país à beira de uma 3ª onda de contaminação, combinada às novas variantes do vírus já diagnosticadas no território brasileiro.

Exterior segue ritmo favorável:

As bolsas americanas, também perto de seus recordes, observam os sinais de inflação e as negociações de novos pacotes fiscais no Congresso americano, com o presidente Joe Biden voltando a se reunir com a oposição republicana na segunda-feira.

Nos Estados Unidos, o Dow Jones Industrials continua a subida em 2021, com 13,55% depois da alta de sexta, seguido pelo S&P500, com 12,61%.

Já o Nasdaq 100 sobe menos, 6,85%, prejudicado pela rotação das carteiras de papéis de tecnologia para os ligados à atividade, já que a retomada das atividades  após a vacinação em massa indica melhora ao setor.

 

Fonte: Stake

Payroll: os dados de emprego nos EUA em maio trouxeram mais ânimo para os ativos de risco, derrubando os juros longos.  Não há duvidas sobre a retomada.

O rendimento do Treasury de dez anos terminou o dia em queda, de 1,627% ontem para 1,557% hoje, perto do nível da sexta-feira passada, de 1,581%, depois de ter atingido 1,63% ontem.

Já o dólar perdeu força no último pregão, com o índice DXY recuando 0,40%, reduzindo a alta da semana para 0,11%.

As commodities subiram, com o petróleo tipo Brent atingindo US$72,00 o barril pela primeira vez deste maio de 2019, e o americano WTI atingindo US$69,62, maior preço desde outubro de 2018.

Após o Payroll nos Estados Unidos, que demonstrou um ambiente favorável ao risco, fez a bolsa continuar a trajetória altista e o dólar rumar a R$5,00, em semana com crescimento do PIB brasileiro acima do esperado no primeiro trimestre.

Por Caroline Daher*.

 


*Caroline Daher é analista de investimentos CNPI-T e Mestre em Direito e Negócios Internacionais. É criadora do canal de investimentos Mulher na Bolsa. É escritora apaixonada por aprender e ensinar, que vive com o escritório na mochila. Aquela que deixou a carreira jurídica para se dedicar ao Mercado Financeiro.

 


DISCLAIMER
Este documento foi elaborado e distribuído gratuitamente pela Mulher na Bolsa  e tem como objetivo somente informar traders e investidores(as), não constituindo oferta de compra ou de venda de nenhum título ou valor mobiliário contido neste relatório. As decisões de investimentos devem ser realizadas pelo(a) próprio(a) leitor(a). Nossa analista elaborou o presente relatório de forma independente e o conteúdo do mesmo não pode ser copiado, reproduzido ou distribuído, no todo ou em parte, a terceiros, sem prévia e expressa autorização.Todas as informações utilizadas neste documento foram redigidas com base em informações públicas, de fontes consideradas fidedignas. Embora tenham sido tomadas todas as medidas razoáveis para assegurar que as informações aqui contidas não são incertas ou equívocas no momento de sua publicação, a Mulher na Bolsa não responde pela veracidade das informações do conteúdo. Este relatório é destinado exclusivamente aos(às) leitores(as) Mulher na Bolsa. A sua reprodução ou distribuição não autorizada, sob qualquer forma, no todo ou em parte, implicará em sanções cíveis e criminais cabíveis, incluindo a obrigação de reparação de todas as perdas e danos causados, nos termos da Lei nº 9.610/98 e de outras aplicáveis.

Leave a Comment